Pesquisar para Conhecer
A ciência aplicada à conservação das tartarugas marinhas e do ambiente costeiro
Pesquisa

O Caminho Marinho acredita que o conhecimento compartilhado é o caminho à conservação das tartarugas marinhas sob uma abordagem ecossistêmica, e o desenvolvimento de teses, dissertações e monografias, se torna fundamental à promoção da pesquisa, apontando para o nosso lema PESQUISAR PARA CONHECER.

Neste contexto, Caminho Marinho liderou a tese de doutorado (Oc. Gustavo Martinez-Souza) que estudou os padrões de abundância e ameaças a juvenis de tartaruga-verde (Chelonia mydas) no Uruguai e no Sul de Santa Catarina e apoiou o desenvolvimento da dissertação de mestrado sobre fitoecologia (Biol. Karine Steigleder, sob orientação da PhD Margareth Coppertino) que abordou a diversidade biológica e distribuiução de macroalgas em subtratos consolidados no Sul de Santa Catarina, Norte e Sul do Rio Grande do Sul e Uruguai.

Dentro das atividades no Sul de Santa Catarina, o Biólogo Jefferson Bortolotto liderou a pesquisa que caracterizou a atividade pesqueira artesanal em comunidades de Garopaba, Imbituba e Laguna, promovendo resultados fundamentais na comprovação do compromisso da pesca artesanal no Sul de Santa Catarina à conservação das tartarugas marinhas.

Atualmente, o Caminho Marinho apoia a monografia em Oceanologia (Andrea Zamora) sobre a diversidade genética dos juvenis de tartaruga-verde (Chelonia mydas) agregadas aos molhes da Barra, Rio Grande, RS.

Além das teses, artigos científicos e resumos em eventos científicos são alguns dos produtos de pesquisa do Caminho Marinho.

Seguindo as tartarugas

Ano

Capturas

Comprimento Curvilíneo de Carapaça (CCC)